OBRA: Ciclos Eternos – Submundo

CATEGORIA: Fantasia

AUTOR: Caroline Factum

 

SINOPSE:

 

Existe um limite entre o real e o imaginário? Até que ponto se pode viver enraizado na realidade e abandonas os sonhos?

Sâmia luta entre o real e o que julgou ser imaginário enquanto faz críticas sobre livros de fantasia em um jornal local. Tentando por anos sufocar seus desejos mais profundos, a fantasia retorna trazendo com ela valores extremamente reais.

O pré-julgamento nos faz refletir quantas vidas foram perdidas ou desperdiçadas pela falta de coragem de se buscar uma certeza, o comodismo de acreditar no mais óbvio, decidir sua vida pelo modo mais conveniente? O Submundo sai das sombras se revelando à humanidade, mostrando a mágica, a doçura, os medos e os demônios existentes em cada um.

A oportunidade que Sâmia precisava juntamente com todas as criaturas mágicas de um reino paralelo ao mundo real, o temível, misterioso e atrativo rei e muitos outros seres que ela jamais imaginou encontrar chegam para ensiná-la a viver sem ter que eliminar a mágica de sua existência. A força do pensamento é a forma mais real de fazer “mágica”, e uma vez que a maioria da humanidade é capaz de pensar, logo a magia é ínica em cada ser, basta o bom senso para equilibrar os dois mundos e não deixar-se ser consumido por nenhum dos dois. Bem-vindo à fantástica viagem dos sonhos, onde somente os sábios saberão vive-los e os demais continuarão apenas existindo.

   

RESENHA:

Foi o segundo livro que li na plataforma Wattpad, mas não se enganem, ele possui sua versão em livro físico, já faz alguns anos. A autora o publicou no exterior primeiramente, depois de muita conversa com amigos, pois eles acreditavam que essa obra pode ajudar muitas pessoas e por isso ela decidiu publicar.

Já ganhador de alguns prêmios, o que sem dúvida, na minha humilde opinião, torna a obra mais atrativa, afinal não é qualquer história que pode ganhar prêmios.

A princípio, a história parece com um diário, mas logo se vê que não é, pois a história é contada em terceira pessoa, mesmo assim, é uma boa forma de começar.

Sâmia é uma jovem de dezenove anos, colunista no Diário de Nova York fazendo críticas de literatura fantástica. Vive sozinha, mas tem uma vizinha que conversa bastante com ela, na verdade, elas são bastante amigas, principalmente porque Sâmia perdeu a mãe quando tinha nove anos, então ela vê na bondosa senhora Margarette uma figura materna.

Aparentemente, Sâmia tem um boa vida, trabalhando e estudando o curso superior, mas ela sofre com pesadelos terríveis, além de um acontecimento em sua adolescência que seu médico psiquiatra vive dizendo que nada daquilo aconteceu. Por esse motivo, ela se denomina como louca, mas se esforça bastante para parecer normal.

Por causa dos sonhos que ela tem com um ser estranho que ela tem certeza de se tratar um demônio chamado de Jahean, muitas noites ela fica sem dormir, o que causa uma pequena piora em seu estado de espírito, parece que ela está realmente enlouquecendo.

A vida de Sâmia começa a mudar quando aparece um gato misterioso em seu apartamento e, alguns dias depois, um estranho chamado Leander Simons aparece na frente de seu trabalho num dia de muita chuva. Com o decorrer da conversa dele com seu colega de trabalho, ela começa a pensar que ele faz parte dos demônios de seus pesadelos e que veio buscá-la.

Não posso dizer mais nada, pois seria Spoiler. Ciclos Eternos – Submundo é o primeiro livro de uma série que vai te levar a mundos fantásticos e fazer você refletir sobre alguns assuntos importantes.

 

Opinião da autora:

O que você, leitor, pode esperar dessa história?

A magia de toda história fantástica, mas com presentes valores que você enfrenta no dia a dia, além de um rei lindíssimo que deixa toda mulher sem folego e os homens com inveja. (RISOS) O primeiro volume falamos do medo, onde as pessoas preferem ficar na dúvida do que ter uma resposta negativa e com isso perdem uma vida inteira sem ao menos saber se poderiam ter recebido um sim.

 

 

 

Entrevista

 

Algumas perguntas pessoais

 

Dia e mês de nascimento?

21/03

Cidade onde mora?

São Paulo

Tem medo de alguma coisa? O quê?

Já vivi meus piores pesadelos, o ser humano não me surpreende mais.

Qual sua bebida e comida preferida?

Agua, sushi

Qual seu escritor favorito? Por quê?

Jostein Gaarder, Lygia Fagundes Telles, são os únicos que tenho todas as obras

 

Sua família sabe que escreve? Eles te apoiam?

Minha filha também escreve, inclusive usarei uma citação dela em meu próximo livro.

 

Se sua vida fosse um filme qual seria? Por quê?

História sem fim (risos) Às vezes tenho a impressão que sou imortal.    

 

Uma crítica ou conselho para si mesmo(a)?

Se estivéssemos aptos a nos aconselhar isso não seria necessário, não é mesmo?

O que você pensa sobre a literatura nacional e as editoras de nosso país?

Temos muitos talentos em ascensão, mas infelizmente tanto editoras como principalmente os leitores não valorizam, os brasileiros em geral acham que o que vem de fora é superior, ficam “babando” em editoras de nome e esquecem que eles são o consumidor, não existe uma editora grande o suficiente que não possa ser derrubada, basta o consumidor se unir, mas isso não tenho a mais remota esperança que possa acontecer nesse país.

 

Perguntas sobre você e seu(s) livro(s)

Você sempre quis escrever?

Sempre escrevi, desde que aprender a ler... risos

De onde retira inspiração para escrever?

De lugar nenhum, minhas obras chegam prontas como se uma voz soprasse ao meu ouvido.

O que você sente enquanto escreve?

Que estou fazendo algo útil, que pode servir a alguém, mas primeiramente serve a mim.

O Que você pensa sobre seus leitores?

Eu tenho leitores incríveis, que fazem elogios que eu nem creio merecer, tenho leitores na África e em Portugal e alcançar esse público foi realmente incrível e extremamente compensador.

 

Se você pudesse ser um personagem do seu livro, qual seria?

Acho que essa frase explica bem isso:

“Um escritor de sucesso escreve o que não sente, um escritor fracassado acredita poder viver a vida de seus personagens.” (Caroline Factum)

 

O que é mais difícil escrever o primeiro ou o último capítulo?

O meio, o primeiro e o ultimo capítulos eu sempre tenho pronto, o meio é sempre um mistério.

 

Qual personagem do livro você gostaria de trazer a realidade?

Nenhum. (Risos) Mas, pensando por outra forma, gostaria de trazer Lisa Adler (Ciclos Eternos – Superfície) pois ela consegue através da influência da mídia acabar com a morte dos elefantes e conscientizar a população a comprarem apenas o marfim vegetal.

 

Vai dedicar seu livro a alguém?

Todos meus livros têm dedicatórias.

Qual a pior e melhor crítica que seu livro recebeu?

Eu não recebi nenhuma crítica ruim, ao menos por enquanto, as melhores são muitas, mas achei muito interessante quando três pessoas me disseram que choraram, acho isso fofo!

 

Os livros sempre nos ensinam algo. E o que espera que seu livro ensine aos leitores?

Se ensinar algo a mim mesma já estou satisfeita (risos)

Meus personagens procuram sempre a evolução, de uma maneira geral, gostaria que meus leitores procurassem evoluir sempre.

Por que seu livro merece ser lido?

Bom, o Colecionador de Almas é o único livro que escrevi para o mundo, afinal é um documentário sobre psicopatia com depoimentos reais e é interesse das pessoas identificarem possíveis psicopatas a sua volta.

Já com a serie Ciclos Eternos, eu realmente escrevi para mim, obvio que é gratificante se alguém gosta, mas essa nunca foi minha preocupação, aliás nem publicar eu queria, tanto que ficou 10 anos em uma gaveta. Me convenceram no momento que disseram que alguém que não me conhecia poderia ser ajudado através dele.

Quer saber mais sobre a autora ou ler o livro? Basta entrar no link: "Ciclos Eternos - Submundo"

Obrigado! Mensagem enviada.